Guarda flores entre as paginas dos livros achando que quando secarem seus sonhos se realizarão....... desenha flores nas aguas do rio e vê formas nas nuvens que passam..... Não é louca..... apenas não gosta do mundo que vive .Quer sair.....mais sabe que morrera nele.......um dia...... Adriana Martins

Amigos

Feito a 4 mãos, como antigamente..............


morro todo dia,
quando a lua descarada me acorda deste sonho louco e poético,
acordo nas ruas
pedindo carona pro meu tempo,
que sonolento,
deixa fugir suspiros de outrora.
morro cada segundo,
intimo de meus segredos,
que desejos em campos revoltos,
ainda planto.
assim vai-se morte feliz,
alegria que renasce agora,
por ler-te bendita menina...palavras que piscam estrelas.
estrelas que  um dia...quem  sabe
vão  o  caminho iluminar
e você poderá  voltar.........
Não  peça carona ao tempo
volte como meu  cavaleiro  do  vento.....
retorna agora..........
sem  medos
sem  demora
vem caminhar nesse caminho  de  estrelas.........

Um comentário:

  1. quem dera um instante eu pudesse retornar meu tempo, coisa que não posso!
    como seria meu tempo naquele tempo, louco.
    quem fossem estas quatro mâos apaixonadas desfilando estrelas?
    seriam estas as palavras usadas pra explicar o perdido?
    o tempo amargo, salgado das lágrimas escondidas em beiral de janela, em canto escondido nas chuvas frias e solitárias, meu tempo.
    hoje afago com carinho, meu dia despedido, feito passarinho avesso, arisco, foge sem deixar rastros de asas entre nuvens, entre acordar-me sozinho.
    caminho de olho no relogio sem paradas que não perguntas mais nada, avança, atropela e me perde cansado.
    queria ter quatro mãos pra poder esquecer dos pés e escrever sem parar, recuperar o que deixei entre telas e livros alheios.
    o tempo corriqueiro, de um dia que deixou, soluçando repetidos dias, minhas mãos são duas...
    entre poemas, relembro, gastei meus segundos lembrando em letras para que tu pudesses gastar os seus.

    ResponderExcluir