Guarda flores entre as paginas dos livros achando que quando secarem seus sonhos se realizarão....... desenha flores nas aguas do rio e vê formas nas nuvens que passam..... Não é louca..... apenas não gosta do mundo que vive .Quer sair.....mais sabe que morrera nele.......um dia...... Adriana Martins

Amigos

Pobres  meninas...
que  amanhecem na  rua
vendendo  ilusão  a noite......
são  como bailarinas
nessa  dança tão louca......
vendem  seus corpos,
para sobreviver
mais  não sentem  prazer
é  como sair dele
e  morrer..........

São as meninas da  noite de Copacabana
pequenas  flores pisadas pela  vida
Sem  sonhos
sem  futuro
sem nada
Vivem  nas  calçadas............
muitas são  mortas
 outras
sempre drogadas
nas esquinas do  medo....
abandonadas
Pureza maculada
 difícil vida  fácil escolhida
terminam presas
nesse labirinto  sem  saída...
feridas pela maldade
como  gado,
para  sempre ...marcadas
Onde estão  as  autoridades???
....dormindo  em  suas  camas   imaculadas
sobre Projetos encantados
discutidos e proclamados
olhem   as  flores  da noite
parem  as  mortes
cuidem  delas
prostitutas crianças
presa em  tristeza
  cegas pela densa neblina da maldade
que  cobre a  noite...essa  cidade
Pequenos anjos sofridos
bonecas vivas desejadas
Se fala  em  pedofilia
e elas  estão ai..... a  rivelia
Mortas,
prostituídas
drogadas.......
.para sempre perdidas
nessa cidade encantada...
crianças meninas
perdidas nessa  noite de chuva,
frio e  neblina.......
simplesmente
descartadas



.

Nenhum comentário:

Postar um comentário