Guarda flores entre as paginas dos livros achando que quando secarem seus sonhos se realizarão....... desenha flores nas aguas do rio e vê formas nas nuvens que passam..... Não é louca..... apenas não gosta do mundo que vive .Quer sair.....mais sabe que morrera nele.......um dia...... Adriana Martins

Amigos

Meus olhos não  vêem
e nada escuto
Não  quero  saber  quem  são
Apenas acredito
que  um  dia  mudarão
ou  não...
Não  me  importo
Acredito na vida e
em  meus  sonhos
e sempre no  amanhã
Sou  feliz  aqui
na  estrada de  pedra
de  castelos  cinza
onde tenho que  enfrentar
meus  medos  escondidos
porem sempre sorrindo
porque  não   posso  chorar
Atrevessei  essa  porta... e  não consigo  voltar
vejo a vida  passando
e  eu observando
aprendendo  lições  a  cada  dia
sabendo  que somos  viajantes
desses momentos  itinerantes
Tenho a certeza que um  dia
os castelos cairão
e essa pouca  liberdade que  trago
será  dado a  essa multidão
Não quero voltar pela  porta
fico nessa dimensão

(Essa poesia estranha, so poucos  entendem )



3 comentários:

  1. Dri, somos prisioneiros dessa dimensão,, nas estradas de pedras e dos castelos cinzentos e sombrios, tambem não sei atravessar a porta, bjs

    ResponderExcluir
  2. são castelos nossos medos, nossas estradas poucos verão, nossos medos, aos poucos crescerão, daqueles dias que há muito, muitos perderão. Assim a vida caminha, entre balas perdidas e sorrisos amargos, feridos pelas madrugadas enluaradas de palidos meninos. Fundir o belo e o medo, nas poesias diarias, quem dirá....alivia. Menina que passou pela porta, ainda que tardia, a porta nunca se fecha.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom encontrar você hoje para almoçar minha amiga,é hora e momento de pensar se a estrada de pedra pode ficar sem você, quem vai ajudar os moradores dos castelos cinzentos??quem tem um olhar como o seu, sem preconceitos???
    A estrada dos castelos cinzentos precisa muito de você,não é hora ainda de sair

    ResponderExcluir